Friday, January 23, 2009

O trem da escória 3


O sistema de transporte público francês é vítima do seu próprio sucesso. Depois de décadas de investimento maciço, grande parte da população, independentemente de posição econômica, aderiu à sua utilização. Dentro das cidades, temos bicicletas, ônibus, bonde e metrô. Trens integrados ao metrô para os subúrbios e a maior rede mundial de trens de alta velocidade conectando as principais cidades e regiões do país.

Formou-se um círculo virtuoso e cada vez mais pessoas usam o transporte público. O problema é a saturação, que não pode ser resolvida com investimentos marginais. Por exemplo, o metrô parisiense está próximo do momento em que não se pode mais adicionar trens ou aumentar a frequência dos mesmos. Eu chamaria de efeito sardinha.

Enquanto a população se aperta no metrô e os trens atrasam, os políticos digladiam-se. Além da briga entre governo e trabalhadores, há a briga política entre esquerda e direita, entre políticos visionários e oportunistas, entre o país e as cidades, etc. Alguém já viu isso?

A verdade é que quando há dinheiro sobrando, as coisas ficam mais fáceis. Em tempos de estagnação, não haverá muitos recursos para manter a qualidade do que era um dos melhores sistemas de transporte público do mundo.


Foto: Visão externa do Château de Vizille, mencionado nos posts anteriores.
Post a Comment