Saturday, April 27, 2013

Fantasma I


Nesta semana, foi divulgado que o The New York Times distribuirá uma coluna assinada pelo Lula. Escárnio geral nas redes sociais. Quem será o "ghost-writer"?  Desde quando o Lula escreve alguma coisa? E assim por diante.

Pode ser engraçado, mas é puro preconceito. Políticos, empresários e celebridades usam o legítimo recurso do "ghost-writer". Não é imoral nem anti-ético. A simples falta de tempo para se escrever um bom artigo justifica a contratação de um profissional.

A boa prática consiste em "brifar" o escritor. Ou seja, passar as grandes linhas do artigo e a mensagem principal. A forma exata da interação entre o autor e o escritor depende da personalidade de ambos.

No caso do Lula, não restam dúvidas de que, após dois mandatos presidenciais e uma longa vida de militância, ele tenha coisas para contar. Só numa recente palestra ao poderoso sindicato dos automobilistas americanos, a UAW (vale à pena, mesmo com uma hora de duração), Lula "brifou" uns quatro artigos. Apesar de ter levado o seu discurso em papel, ele parte para o improviso aos 9 minutos.

Também tenho minhas diferenças com o Lula, mas quero que ele conte suas histórias, mesmo que seja da prisão.


Foto: Ainda pelas ruelas de Eze.
Post a Comment