Thursday, July 16, 2009

Veredito - Fofana

Este post é continuação de "Dura lex, sed lex".

Polêmica daquelas que os franceses adoram. Youssouf Fofana, líder da quadrilha que sequestrou, torturou e matou o jovem judeu Ilan Halimi foi condenado à prisão perpétua (máximo 22 anos). Dois problemas: Nem todos os envolvidos na trama receberam penas tão rigorosas e o julgamento foi a portas fechadas.

A família da vítima está indignada. Uma parte da colônia judaica, idem. Eles queriam um processo com maior visibilidade e uma punição exemplar para todos os envolvidos, dando um caráter mais educativo ao julgamento. A Ministra da Justiça, atendendo às pressões, pediu uma revisão das sentenças.

Na prática, a Justiça aplicou a lei corretamente. Os dois líderes do crime receberam o devido agravante pelo fato de que o alvo tenha sido intencionalmente um judeu. Os demais participantes não. A Justiça francesa é como a brasileira: In dubio pro reo.

Théo Klein, um dos líderes da comunidade judaica local e muito respeitado no país, confirma: O processo foi bem conduzido. As penas são substanciais. Melhor seria respeitar a decisão da Justiça. Clique aqui para ver o seu depoimento no Monde.



Foto: Símbolo da cidade, a Marienplatz (Praça de Maria) e o Neues Rathaus (nova câmara municipal). O estilo é gótico, mas o prédio tem pouco mais que 100 anos. Detalhe para o carrilhão animado (canto superior direito da foto), mais festivo do que o relógio de Praga, porém o show só acontece três vezes por dia (no verão).
Post a Comment