Thursday, January 15, 2009

80 anos de Tintin



Um dos meus primeiros posts no antigo fotolog falava sobre o Tintin, um campeão de vendas e eterno ídolo da juventude europeia. Também falei da proibição de "Tintin no Congo" em diversos países, por causa de um processo de racismo contra Hergé.

Hergé é acusado de ser racista, colonialista, colaboracionista, de extrema direita e anticomunista. Cá entre nós, é verdade! Fica a dúvida se a leitura de todos os seus álbuns é capaz de influenciar alguém. Acho que não, ela apenas traduz (às vezes de forma muito sutil) sentimentos dominantes à sua época. Apesar do deslize antissemita de "A estrela misteriosa", não há qualquer outro tropeço. Pelo menos não foi suficiente para desanimar Steven Spielberg a investir na volta do jovem jornalista às telas em 2010.

Hoje em dia, aos 80 anos do personagem, o alvo das principais acusações não é mais o criador, mas a criatura: Tintin é gay! Tintin é homossexual e misógeno. Hergé, enquanto vivo, tentou explicar as razões do mundo sem mulheres de Tintin, mas aí passaram a desconfiar que ele também fosse do mesmo time.

Apesar das controvérsias, Hergé e Tintin são respeitados e os álbuns vendem muito. Vou prestar atenção no noticiário e ver se algum "skinhead" declara Hergé como ídolo. Certamente, algumas bichas vão declarar Tintin como símbolo. O meu veredito é que Hergé é menos racista e anticomunista do que Monteiro Lobato.


Foto: Lyon, passarela sobre o Saône, com a insistente bruma que não sai de cima da França há muitos dias.
Post a Comment