Friday, November 16, 2012

Hispânicos


É cada vez mais comum encontrar por aí vendedores e garçons vindos de outros países da América Latina. Em qualquer lugar do mundo, uma observação desse tipo nem seria digna de nota. Talvez, fosse até preconceituosa. Bem, no Brasil é diferente. Por algumas décadas, o único fluxo migratório relevante que vivemos foi o interno.

Sou absolutamente favorável a entrada dos "hermanos" e também de outros povos mais distantes. Acho até que deveríamos atrair mais intensamente profissionais especializados para alavancar nosso desenvolvimento.

A oportunidade de conviver com os imigrantes hispânicos em muitos lugares nos faz sentir como os brasileiros da virada do final do século XIX. À época, os imigrantes eram parte considerável da nossa pequena população de cerca de 15 milhões de habitantes. Ou, como os europeus e norte-americanos, tão habituados às imigrações, legais ou ilegais.

Há muitas causas para esse novo fluxo migratório em direção ao Brasil. Fundamentalmente, seguindo a própria história dos nossos antepassados, as perspectivas por aqui são melhores do que nos nossos vizinhos.



Voltando ao cinema, assisti ao filme argentino "Elefante Branco". Não é um filme agradável, mas o paralelismo entre as "villas" argentinas e as nossas favelas é impressionante. Me deu menos vontade de voltar a Buenos Aires, porém o recomendo como documentário. O crescimento recente da favelização na Argentina é trágico. Nossos vizinhos andam para trás, o que vem a reforçar o papel do Brasil como locomotiva regional.



Foto: Última foto de Bath, Inglaterra. Não me perguntem quantos dias tão ensolarados eles podem curtir por lá, pois o Parade Gardens estava lotado.
Post a Comment