Sunday, February 8, 2009

Bem Me Quer, Mal Me Quer 5

Em 2007, quando do falecimento do arcebispo de Paris, Jean-Marie Lustiger, guardei uma carta publicada no Le Monde. A carta foi assinada por Théo Klein, advogado renomado e líder da comunidade judaica francesa. Jean-Marie e Théo foram amigos de infância no seio da mesma comunidade.

No auge da perseguição nazista, Jean-Marie converteu-se ao catolicismo. Ascendeu na hierarquia eclesiástica, sendo cotado a Papa em mais de uma oportunidade. Os episódios recentes em torno de Bento XVI me estimularam a traduzir um trecho desta homenagem de Théo ao seu amigo.

"Estávamos distantes pelas nossas opções de vida. Opostas na relação com o Divino, mas próximas na nossa crença na nobreza de um saber viver, de uma dignidade humana que sabe aliar o sentido e a prática da responsabilidade pessoal e cidadã a respeito de si e do outro. Ele conhecia, assim como eu - sem dúvidas ele em latim e eu em hebraico - o 'Sou-eu o guardião do meu irmão?' (Gênesis, IV, 9) que nos desafia a cada instante."


Foto: Casas medievais remanescentes no centro de Roanne (Departamento do Loire) onde estive neste domingo.
Post a Comment