Monday, June 22, 2009

Veredito - Cécile e Véronique

Este post é continuação de "Dura lex, sed lex".

Dois dos julgamentos citados terminaram nesta semana. Cécile Brossard, a amante ferida, foi condenada a 8 anos e meio de prisão. Véronique Courjault, a mãe assassina e doente, a 8 anos. Pelo pouco que entendo do sistema penal gaulês, são penas moderadas. Certamente, elas poderão voltar às ruas um pouco mais cedo, sob certas condições.

As penas são moderadas, pois o júri reconheceu o dolo e alguns atenuantes. Acho que a defesa está ligeiramente mais satisfeita que a acusação em ambos os casos.

No caso Véronique, o pleno apoio do marido e de toda família foi essencial. Afinal, ela é doente e o melhor tratamento está certamente fora da cadeia. Véronique assumiu a responsabilidade, mostrou arrependimento e vontade de se tratar.

O caso Cécile foi mais hilário. A promotoria comentava sobre as vestimentas e artefatos usados pelo banqueiro Edouard Stern quando do seu assassinato, o que caracterizava um ritual sadomasô. Diz o promotor em tom de reprimenda: "A Senhora poderia ter tirado essas roupas comprometedoras do cadáver a fim de salvar a reputação do Sr.Stern". Pode?

Os outros julgamentos ainda estão longe do desfecho. Volto com novo veredito.


Fotos: O circuito judaico de Praga é uma das maiores atrações da cidade. O antigo gueto de Josefov ainda guarda as sinagogas usadas pela comunidade, bem como o cemitério, que funcionou de1478 à 1786. A foto acima mostra os túmulos seculares encravados no centro na cidade. A maior atração é a tumba do Rabino Loew (1520-1609), criador do Golem, um personagem importante da mística judaica (cabala). As sinagogas são bem mais interessantes por dentro do que por fora. Na foto abaixo, a Sinagoga Jerusalém que não fazia parte do gueto e ainda é usada pela pequena comunidade local.


Post a Comment